Amamentação recomendada para proteger bebês durante surto de gripe suína.

por:  United States Breastfeeding Committee – (HealthNewsDigest.com) – Washington, DC –

1 de maio de 2009 – 19:39:25

traduzido por:  Regina Garcez

 Enquanto o país monitora o aumento do surto de “gripe suína,” o United States Breastfeeding Committee (USBC) recomenda o aleitamento materno como estratégia importante para evitar infecção. O Centers for Disease Control and Prevention (CDC) distribuiu orientações atualizadas hoje sobre considerações da gripe suína ( H1N1), relativas à gestação e ao aleitamento materno, dizendo:  “Os bebês não amamentados estão especialmente vulneráveis a infecções e hospitalização por doença respiratória severa. Mulheres que dão bebês à luz devem ser estimuladas a iniciar cedo o aleitamento e a alimentar os filhos com frequência.”

 Especialistas médicos concordam com o  U.S. Department of Health and Human Services que recomenda o aleitamento exclusivo por seis meses e sua manutenção durante o primeiro ano de vida e além. A presidente do USBC,  Joan Younger Meek, MD MS, RD, FAAP, FABM, IBCLC, afirma a importância da amamentação em situações de emergência: “Pesquisas mostram, sem dúvida, que a amamentação é uma fonte segura e confiável de alimento, com uma infinidade de células e anticorpos que combatem totalmente as doenças, ajudando a proteger os bebês contra germes e enfermidades. Mães expostas à gripe produzem proteção específica aos filhos, transmitindo-as aos bebês através de seu leite. As fórmulas preparadas não oferecem essas propriedades específicas de combate a infecções. A suplementação desnecessária com fórmula deve ser eliminada, para que o bebê possa receber o máximo possível de anticorpos protetores maternos e outros fatores protetores imunológicos.”

 As mulheres podem continuar a amamentar enquanto recebem medicamentos antivirais. A orientação do CDC recomenda que, se a mulher adoecer, deverá manter o aleitamento e aumentar a frequência das mamadas. Se a mãe ou o bebê estiver tão doente a ponto de ter dificuldades para alimentar ou ser alimentado diretamente no seio, ela deve ser estimulada a retirar o leite para dá-lo à criança. Em algumas situações, os bebês podem conseguir usar leite humano doado de bancos de leite certificados pela Human Milk Banking Association of North America.

O CDC informa que o risco de a gripe H1N1 (suína) ser transmitida pelo leite materno ainda é desconhecido e que relatos de gripes sazonais transmitidas através dele são raros. Além disso, quando a mãe começa a mostrar sintomas de gripe, o bebê está também exposto a eles. O leite da mãe pode oferecer proteção adicional ao bebê contra complicações da gripe, como sintomas respiratórios severos, diarréia, outras infecções gastrointestinais e desidratação.

Além de manter o aleitamento materno, pais e cuidadores ajudam a proteger o bebê contra disseminação de germes, quando:

-Adultos e bebês tiverem as mãos lavadas, com freqüência, com sabão e água, em especial, após os bebês colocarem as mãos na boca.

– Mães e bebês forem mantidos próximos o mais possível e encorajados, bem cedo e com frequência, a terem contato pela pele.

– Houver limites de partilhamento de brinquedos e outros itens que tenham passado pela boca do bebê, com a lavagem completa das mãos, usando sabão e água, e dos objetos.

– Chupetas (inclusive o prendedor da chupeta e a alça) e outros itens forem mantidos afastados da boca dos adultos ou de outros bebês antes de serem dados ao seu bebê.

– Tiverem nariz e boca cobertos ao tossir ou espirrar.

 

Mais informações sobre a gripe suína podem ser obtidas no site do CDC (H1N1 Flu Web site).

Outras informações sobre amamentação podem ser obtidas através do The National Women’s Health Information Center.

Médicos e outros provedores de atendimento de saúde estão habilitados a oferecer ajuda e responder a perguntas sobre amamentação e profissionais de apoio e especialistas em amamentação podem ser localizados através da International Lactation Consultant Association, do programa USDA Food and Nutrition Service Women, Infants and Children (WIC) Program, e da  La Leche League International.

O USBC organiza as organizações. Suas opiniões não refletem, necessariamente, as de todos os membros da organização e as opiniões manifestadas pelos representantes dos membros do  USBC também não refletem, necessariamente, o que pensa esse centro.

United States Breastfeeding Committee (USBC) – Comitê de Aleitamento Materno dos Estados Unidos

O United States Breastfeeding Committee (USBC) é uma coalisão independente e sem fins lucrativos de 41 organizações profissionais, educacionais e governamentais influentes, representando mais de meio milhão de profissionais preocupados e famílias atendidas, o USBC e as organizações filiadas têm a mesma missão de melhorar a saúde do país através do trabalho conjunto de proteção, promoção e apoio ao aleitamento materno.

 

Mais informações sobre esse centro podem ser obtidas em:

http://www.usbreastfeeding.org.

http://www.HealthNewsDigest.com

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s