Leite materno pode fornecer um panorama personalizado dos riscos de câncer de mama, diz estudo.

ORLANDO – Os riscos de câncer de mama podem ser avaliados através da análise das células epiteliais encontradas no leite materno, de acordo com resultados preliminares de um estudo apresentado no encontro da Associação Americana para Pesquisa de Câncer (AACR, na sigla em inglês), que está sendo realizado até 6 abril.

Este método de seleção tem o potencial de fornecer uma avaliação individual do risco de câncer de mama, segundo a pesquisadora Kathleen Arcaro, professora de ciências veterinárias e animais na Universidade de Massachusetts Amherst. Este panorama abrange grande da população do sexo feminino, já que 80% das mulheres dão à luz.

Os pesquisadores colheram amostras de leite materno de cerca de 250 mulheres que fariam ou tinham feito biópsia de seio. As mulheres colheram amostras das duas mamas, in natura, que foram processada dentro de 24 horas.

Quando os pesquisadores receberam as amostras, isolaram as células epiteliais (potencialmente cancerosas) no leite materno. Em seguida, eles isolaram o DNA para procurar sinais epigenéticos – que, entre outras coisas, podem silenciar um gene responsável pela adesão celular, permitindo que as células cancerosas se espalhem – que foram então comparados com o resultado da biópsia para avaliar os riscos de câncer de mama. Três genes foram analisados: RASSF1, GSTP1 e SFRP1.

Das 104 mulheres com uma lesão não-proliferativa (baixo risco), os resultados mostraram não haver diferença entre a média metilação do DNA (modificação química, mais bem caracterizado mecanismo epigenético) epitelial de seu peito biopsiado e do não-biopsiado para RASSF1 e GSTP1. Para SFRP1, porém, a metilação média foi maior na mama biopsiada. Entre as mulheres cuja biópsia revelou o câncer, houve um aumento significativo da metilação média RASSF1 entre as mamas.

– O tamanho da amostra deste estudo é pequeno, mas suficiente para nos dizer que podemos usar as células do leite materno para avaliar os riscos de câncer de mama – disse Arcaro.

Estudos adicionais ainda são necessários para expandir o número de genes. A longo prazo, os estudos estão em andamento com cerca de 80% dos participantes iniciais matriculados para acompanhamento futuro.

A expectativa é que, no futuro, toda mulher que tiver um bebê no hospital seja testada para câncer de mama via amostra de leite materno:

– Vamos retirar uma amostra de colostro e dizer a esta mulher como estão suas mamas. É totalmente não-invasivo, barato e preciso – disse a pesquisadora
Leia mais sobre esse assunto em http://oglobo.globo.com/vivermelhor/mat/2011/04/04/leite-materno-pode-fornecer-um-panorama-personalizado-dos-riscos-de-cancer-de-mama-diz-estudo-924147997.asp#ixzz1Q3sCceFl
© 1996 – 2011. Todos os direitos reservados a Infoglobo Comunicação e Participações S.A.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s