0

Cigarro nos primeiros meses de gravidez está associado a defeitos cardíacos congênitos em 20 a 70% dos bebês, segundo informações do CDC

Grávidas que fumam no primeiro trimestre da gestação podem ter bebês com defeitos cardíacos congênitos em 20 a 70% dos casos, de acordo com um estudo do Centers for Disease Control and Prevention (CDC). Os defeitos cardíacos congênitos são o tipo mais comum de alterações congênitas, contribuindo para aproximadamente 30% das mortes infantis por defeitos ao nascimento anualmente.

O estudo encontrou uma associação entre a exposição ao cigarro e certos tipos de defeitos como aqueles que prejudicam o fluxo sanguíneo do lado direito do coração2 para os pulmões3 e defeitos nos septos atriais. O estudo foi publicado no periódico Pediatrics de 28 de fevereiro de 2011.

Segundo o diretor do CDC, Thomas R. Frieden, mulheres que pretendem engravidar ou que já estão grávidas devem parar de fumar, pois isto é a coisa mais importante que uma mulher pode fazer para melhorar a sua saúde e a saúde de seu bebê.

Segundo os resultados deste estudo, parar de fumar antes ou logo no início da gestação, pode evitar mais de 100 casos de obstruções do trato de saída do ventrículo direito e cerca de 700 casos de defeitos do septo atrial por ano nos Estados Unidos.

Parar de fumar também evita parto prematuro e baixo peso do bebê ao nascer.

Fontes: news.med.br

CDC

Pediatrics

0

Vitamina B12 reduz incidência de defeitos do tubo neural se usada antes da gravidez, segundo artigo da Pediatrics.

Por: news.med.br

Artigo publicado na revista científica Pediatrics mostra que a suplementação de vitamina B12 pode reduzir a incidência de defeitos do tubo neural quando a mulher está planejando uma gravidez, além do já conhecido uso de ácido fólico.

O estudo foi realizado com 1.200 mulheres irlandesas. Amostras de sangue foram coletadas e avaliadas ao longo de toda a gestação. Aquelas mulheres com níveis baixos de vitamina B12 no organismo tinham cinco vezes mais chances de ter um bebê com malformação fetal, principalmente defeitos do tubo neural, como espinha bífida e anencefalia.

As mulheres devem considerar a suplementação de vitamina B12 e ácido fólico antes de engravidarem, já que as malformações fetais ligadas à carência dessas vitaminas costumam surgir nas primeiras quatro semanas de gestação. Os pesquisadores sugerem que sejam mantidos níveis de vitamina B12 acima de 300 nanogramas antes que uma gestação se inicie.

Fonte: Pediatrics, volume 123 – nº 3 de março de 2009 – http://pediatrics.aappublications.org/